26 novembro, 2015


O termo populismo é utilizado historicamente para designar um conjunto de práticas políticas que consiste no estabelecimento de uma relação direta entre as massas e o líder carismático. 

Sua característica baseia-se no contato direto entre as massas e o seu líder carismático. Que para estabelecer-se, mantém um vínculo emocional com o "povo". Isso implica num sistema de políticas ou métodos para o aliciamento das classes sociais de menor poder aquisitivo.

Tornou-se uma força importante no Brasil, ligado à Revolução de 1930, que derrubou a República Velha oligárquica, colocando no poder Getúlio Vargas, que viria a ser a figura central da política brasileira até seu suicídio, em 1954.

A prática, nem sempre é esquecida! 

Quando líderes religiosos colocam o desejo de agradar o povo, pelo simples prazer de agradar, na ânsia de manter seu público, seus súditos, alienando-os, escondendo verdades ou distorcendo-as, nada mais se pode caracterizar do que a velha prática populista. 

Encontros religiosos, onde líderes, utilizando de seu carisma, assumem o centro da reunião, praticamente exercendo uma intermediação única, entre o povo e a benção, com mensagem e atitudes, que visam agradar o público, nada mais nada menos é do que a repetição desta prática humana em nossos cultos e reuniões.

Manter a integridade do evangelho é muito mais importante do que até mesmo manter a paz em nossas comunidades.


Por: Pastor Israel Barbosa - Teólogo – Professor – Reside em Caruaru

| Blog do Allison Torres |