02 novembro, 2015


O governador Paulo Câmara e as principais lideranças do PSB não conseguiram fechar um acordo entre os grupos do ex-governador João Lyra Neto e do vice-prefeito de Caruaru, Jorge Gomes, para entregar o comando da legenda naquele município à deputada estadual Raquel Lyra. Nos últimos dias, as negociações avançaram muito, mas o prego não foi batido.

Pelo desejo do Palácio, Raquel presidiria o partido e ficaria com mais duas vagas na executiva municipal, cabendo o restante, inclusive a secretaria-geral, a Jorge Gomes. Mas socialistas históricos em Caruaru entenderam que não seria adequado dar o start deste processo agora quando o prazo para troca de partido e filiações ficou para 2 de abril de 2016.

As negociações foram suspensas sob protesto de João Lyra e Raquel, que são os mais interessados na definição deste processo em Caruaru. Como o assunto só voltará à pauta da executiva estadual do PSB no ano que vem, provavelmente a partir do fim de janeiro, João e Raquel saíram derrotados e podem até antecipar a saída da legenda, já especulada há muito tempo, ingressando no PSDB.

“O Governo não quis contrariar Jorge Gomes e sua esposa, a ex-deputada Laura Gomes, históricos arraesistas”, canta um passarinho formoso, com bico de Sabiá, bem vistoso nos jardins do Palácio do Campo das Princesas. Segundo ele, também foi levado em consideração o fato de o prefeito de Caruaru, José Queiroz, ser um aliado de peso e importante no jogo sucessório de 2016.

Sendo assim, o que se pergunta em Caruaru é se João Lyra, que pressionou tanto para o PSB entregar a ele o diretório municipal, entrará no jogo palaciano aguardando pela boa vontade da cúpula socialista até março. Sabe Lyra que se o candidato a prefeito de Queiroz for mesmo Jorge Gomes, como já admitem pessoas próximas ao pedetista, antecipar a saída do PSB será o melhor que possa fazer.

Até porque o governador e a direção do PSB não têm como rejeitar uma proposta de Queiroz de manter a aliança, dando ao partido a cabeça da sua chapa em detrimento do PDT, partido que dirigiu por muito tempo no Estado e recentemente passou o bastão ao deputado federal Wolney Queiroz, seu filho.

O retardamento da definição do diretório municipal do PSB em Caruaru, pela unanimidade dos seus dirigentes, foi o mesmo que, na prática, pedir para João Lyra se desfiliar do partido. O ex-governador, aliás, já recebeu do comando estadual tucano a garantia de que Raquel assume a presidência do diretório em Caruaru e conta com o aval e entusiasmo da tucanada estadual para tentar chegar a suceder Queiroz na Prefeitura.


| Coluna do Magno Martins |