03 fevereiro, 2016


Antes de uma viagem a Israel, há alguns anos, meu amigo Ken Wilson aconselhou-me: ‘’Se você não souber o que dizer em Israel, diga apenas slalom. Essa palavra quer dizer uma porção de coisas. ‘’ É a saudação hebraica que expressa votos de paz e que significa tudo, desde ‘’olá’’ e ausência de inimizade até saúde e votos de vida no céu, sendo particularmente significativa diante de tantas ameaças de guerra em nosso mundo. 

Paz, uma palavra muito comum hoje em dia; está nos lábios de cada repórter de notícia, nas páginas de todas as publicações. Ouvimos os políticos falarem de uma paz “justa e duradoura” ou “justa e honrosa”. A paz faz parte da conversão de cada pessoa comum, como também de cada governante. Por outro lado, paz é uma palavra estranha em todos os séculos. Nosso mundo é fértil em nacionalismo, imperialismo, racismo, militarismo e divisão.

Fala-se de paz por toda parte, porque todos querem a paz. Thomas à Kempis escreveu: “Todos desejam a paz, porém muito poucos desejam as coisas que resultam em paz.” Com esse desejo no coração, um rabino fez um apelo em favor da paz de consciência. Um sacerdote reuniu suas ideias em um livro que intitulou Paz da Alma. E um evangelista prega a paz num livro intitulado Paz com Deus. Líderes religiosos e políticos levantam–se para fazer um apelo em favor da paz.

Mais o que é paz?

Muitas vezes, atribuímos um falso sentido à paz. No âmbito pessoal, imagina–se que a paz venha com a idade madura, sendo encontrada na quietude da natureza. Ou pensa–se na paz como um jovem pescando peixinhos numa tarde modorrenta. Na família, a paz existe quando não acontecem brigas nem batalhas verbais. Na igreja, quando o pregador não diz alguma coisa que incomoda, ou quando os membros estão satisfeitos com a situação reinante. Na esfera nacional, as pessoas pensam que paz é a ausência de guerra ou quando o oprimido não provoca qualquer oposição ou comoção. 

A busca da paz não é nova. Todos os filósofos de todas as épocas ansiosamente a desejaram e propuseram que a paz é a remoção dos desejos: outros, que é a morte da emoção. Outros ainda que é a capacidade De manter absoluta indiferença ou a auto–suficiência, sem permitir que alguém se torne dependente de qualquer um ou de qualquer coisa, protegido pela determinação de não se preocupar. Pode–se dizer que todos os filósofos descrevem a 

paz como a ausência de sofrimento, tanto da mente como do corpo. Jesus disse; "Eu disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo". João 16:33 

Mas o que, realmente, significa a paz de que fala a Bíblia? Em particular, o que é a paz que Paulo diz ser o resultado da presença do Espírito Santo em nos? É a paz da separação do auto–isolamento, do alheamento?

Como fruto do Espírito, a paz não é apenas, ou primariamente, um relacionamento pessoal entre Deus e nós. Não é a separação dos cuidados e preocupações da vida, no sentido bíblico, é o relacionamento correto, em todas as esferas da vida, com Deus e com as pessoas.
Shalom

Primeiramente, vejamos no Antigo Testamento a palavra que significa paz, shalom. O conceito de paz no Novo Testamento deriva mais de shalom do que o sentido comum e usual da palavra paz nos tempos do Novo Testamento ou em épocas anteriores. Não é uma palavra negativa, shalom era a saudação judaica familiar e amiga, usada ao perguntar sobre saúde e bem–estar de alguém Ela se refere a todas as coisas que resultam no bem maior de uma pessoa. 

Shalom não é simplesmente a ausência de guerras ou dificuldades. É a prece e esperança de que tudo esteja bem. Ela não somente evita falar no mal, mas também fala o que é bom. Shalom reflete um relacionamento de preocupação e cuidado entre duas pessoas, duas nações, entre Deus e seu povo. 

Achamos que o Novo Testamento é um livro sobre a paz. Ela é ali mencionada 88 vezes e aparece em todos os livros do Novo Testamento, Ali, de modo geral, tem o mesmo sentido do shalom do Antigo Testamento. Muitas das cartas neotestamentárias trazem juntas tanto a saudação pagã “graça” como a saudação judaica “paz”, em frases como “graça e paz sejam convosco”.
 

| Blog do Allison Torres |