07 junho, 2016














O senador Armando Monteiro Neto (PTB-PE), ex-ministro no governo da presidente afastada Dilma Rousseff (PT), classificou como “extremamente constrangedor para o Congresso Nacional” o pedido de prisão dos caciques do PMDB pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Alegando que os parlamentares tentaram interferir na Justiça, após vazamento de gravações de conversas deles sobre a Operação Lava Jato, Janot pediu a prisão do presidente do Senado, Renan Calheiros; do senador Romero Jucá, ex-ministro na gestão interina de Michel Temer; e do ex-presidente José Sarney. Os três aparecem em áudios incluídos na delação premiada do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado.

Além deles, foi solicitada a prisão do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha. Para Janot, mesmo afastado, o peemedebista interfere nas decisões da Casa.

Armando ponderou, porém, que ainda é prematuro avaliar o mérito do pedido do procurador-geral. “É uma situação inusitada, mas temos que aguardar o desdobramento desse processo. Não nos cabe promover juízos antecipados, de caráter definitivo”, declarou à TV Globo.



Organização: Coquinho