20 outubro, 2016


Meus queridos amigos e amigas do Facebook, WhatsApp e outras redes sociais, gostaria de deixar bem claro que não estou aqui levantando bandeira de cor partidária nenhuma, nem querendo sujar a imagem de ninguém. Mas confesso que como cidadão brejense estou indignado.

Como tenho vários familiares em nosso maior distrito (São Domingos) hoje (19) ao passar pela policlínica fiquei indignado, como é que pode a ÚNICAunidade de saúde estar todos os dias sendo fechada às 19h00? São Domingos hoje conta com mais de 20.000 mil habitantes e ter a única unidade de saúde fechada é um colapso para a saúde do nosso distrito.

Meus queridos a questão agora deixa as cores partidárias de lado, a questão agora é vida, é saúde, é o idoso que está doente em sua casa, a idosa que sofre de pressão, a mãe que está passando a noite acordada com sua criança doente e não tem para onde levar, isso é trágico, isto é um dos piores atrasos para um município.

O que podemos fazer para resolver esta situação? Cobrar e bater na porta dos vereadores pedindo que seja feito algo, o que não pode meus queridos amigos (as) é continuar dessa forma, somos conhecedor do alto índice de violência em nosso município, que Deus nos livre de acontecer algo grave comigo ou com você, o que vamos fazer? Passamos mesmo a viver refém de uma saúde não muito boa de uma cidade vizinha, que mal atende bem seus munícipes?

São inúmeras interrogações que tenho em minha mente quanto ao fechamento desta policlínica, mesmo sabendo que vou ser perseguido por alguns, ou até mesmo, possa ser que exista até maus comentários sobre essa minha “INDIGNAÇÃO”, mas quero novamente dizer que ATITUDES como está não pode ser aceita. 
Que os senhores que são representantes do povo se pronunciem e expliquem detalhadamente tudo, afinal de conta, vocês são empregados da população, em um caso especifico que estou falando; “empregados da população de São Domingos”, assim como as minhas interrogações existe várias pessoas que também estão sem entender.

Por fim, sejam mais humanos, respeitem o povo!

Por: Allison Torres