09 julho, 2020

Alepe indica Liceu de Artes e Ofícios para título de Patrimônio Cultural Imaterial de Pernambuco


Projeto de resolução foi de autoria do deputado e primeiro-secretário da Alepe, Clodoaldo Magalhães (PSB). Liceu de Artes e Ofícios é um importante prédio para a história do estado.

O Liceu de Artes e Ofícios, localizado no bairro da Boa Vista, no Recife, foi indicado pela Assembleia Legislativa de Pernambuco, através de projeto de resolução do deputado estadual Clodoaldo Magalhães, para obtenção do Registro do Patrimônio Cultural Imaterial de Pernambuco, título de honra no estado. A indicação agora segue para a Secretaria de Cultura de Pernambuco. 

O prédio do Liceu foi construído entre os anos de 1871 e 1880 para funcionar como sede da Escola de Ofícios, mantida pela Sociedade dos Artistas Mecânicos e Liberais de Pernambuco, inaugurada em 1841. A pedra fundamental do prédio foi lançada em 1871 e sua inauguração ocorreu em 21 de novembro de 1880, no 39º aniversário da Sociedade.

Localizado na Praça da República, nº 281, ao lado do Teatro Santa Isabel, O Liceu de Artes e Ofícios é um projeto do engenheiro pernambucano José Tibúrcio Pereira de Magalhães, autor de outros importantes edifícios recifenses, como o da Assembléia Provincial, prédio da Alepe.

Em estilo classicista imperial, inspirado no neoclassicismo francês, o prédio é composto de dois pavimentos. A fachada sofreu pequenas modificações durante a construção e também no século XX, mas não chegaram a causar uma grande desfiguração do projeto original. A escadaria única, localizada no centro da fachada, foi trocada por uma dupla e simétrica. Trabalhada em mármore e com guarda-corpo em ferro, leva ao pavimento superior onde existem dois grandes salões.

Como uma das instituições que prestava um serviço à educação popular no Recife, o Liceu ministrava aulas de desenho, música, pintura, marcenaria, arquitetura, aritmética, alfabetização. Possuía uma biblioteca com algumas obras raras e um museu com um bom acervo.

O prédio, tombado em 1994, tem um grande valor histórico, arquitetônico e cultural para a cidade. Extinto em 1950, o edifício e o acervo do Liceu estão, atualmente, sob a responsabilidade da Universidade Católica de Pernambuco, que o utiliza como colégio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário