15 julho, 2020

Ex-presidente da Câmara dos Deputados Severino Cavalcanti é enterrado em João Alfredo


O corpo do ex-presidente da Câmara dos Deputados Severino Cavalcanti foi enterrado, na tarde desta quarta-feira (15), em João Alfredo, no Agreste de Pernambuco. O político morreu na madrugada, no apartamento onde morava, em Boa Viagem, Zona Sul do Recife. O sepultamento ocorreu na cidade em que ele nasceu e da qual foi prefeito por duas vezes.

O sepultamento estava previsto para começar às 16h e o cortejo saiu da entrada da cidade, passando pelos prédios da prefeitura e da Câmara Municipal e pelas principais ruas da cidade.

Por causa da pandemia do novo coronavírus, não houve velório, para evitar a aglomeração de pessoas na cidade. Mesmo com as determinações, muita gente se reuniu na frente do cemitério. A maioria usava máscaras, mas havia pessoas sem a proteção.

Severino Cavalcanti deixou a esposa, Amélia, e três filhos: Zé Maurício, Ana e Catharina. No cortejo, amigos e parentes seguiram em carreata até o cemitério. Dezenas de carros, enfileirados, ocuparam as rodovias até o local do sepultamento. O caixão foi coberto com uma bandeira do Brasil.

Projetos

Na Câmara dos Deputados, Severino Cavalcanti foi titular de diversas comissões especiais, como a que analisou a Proposta de Emenda à Constituição 25/95, sobre inviolabilidade do direito à vida; e a que discutiu a PEC 155/93, sobre imunidade parlamentar. Ele também fez parte das comissões parlamentares de inquérito sobre adoção e tráfico de crianças brasileiras e sobre bingos.

Entre os projetos por ele apresentados estão o PL 2309/03, que buscava proibir o trabalho externo dos que cumprem pena por crime hediondo, tortura, tráfico ou terrorismo; e o PL 1457/03, que criava o programa de residência nos cursos de Agronomia, Engenharia Florestal e Medicina Veterinária.


Carreira

Severino José Cavalcanti Ferreira foi deputado federal por três mandatos: entre 1995 e 1999, entre 1999 e 2003 e entre 2003 e 2007. Ele também foi deputado estadual por sete mandatos, entre os anos de 1967 e 1995. Entre 1964 e 1966, foi prefeito de João Alfredo. O ex-parlamentar retornou à gestão do município entre os anos de 2009 e 2012.

Ele renunciou ao último mandato como deputado federal em 21 de setembro de 2005, como desdobramento da denúncia de que cobrava propina de R$ 10 mil por mês do dono de um dos restaurantes da Câmara, no caso conhecido como “mensalinho” (veja vídeo abaixo). Nesse mesmo ano, havia sido presidente da Câmara entre os meses de fevereiro e setembro.

Segundo pessoas próximas à família, Severino Cavalcanti era diabético e sofreu uma queda em 2019, quando fraturou o fêmur e a bacia. Uma cirurgia seria necessária, mas não foi feita devido à diabetes. "Ele estava dormindo na hora. Foi uma morte tranquila", disse um dos filhos de Severino Cavalcanti, José Maurício Cavalcanti, ao G1.

Nenhum comentário:

Postar um comentário