08 agosto, 2020

LEALDADE RELATIVA - POR: PROFESSOR MÁRIO DISNARD


Reconhecimento é fator decisivo para a permanência de um profissional na empresa

Hoje no mundo do trabalho, a questão da carreira passou a.ser tratada como sendo do âmbito do indivíduo. Atribui-se a cada homem e a cada mulher responsabilidade pelo desenvolvimento de sua trajetória profissional. Mas essa condição, por sua vez, fragilizou a relação de lealdade do funcionário com a empresa, o que culminou com um dos desafios cruciais para quem lida com a gestão do capital humano: a retenção de talentos.

Essa interdependência, essa conectividade vem para o bem e para o mal. Porque se sou um profissional que sabe que não haverá essa lealdade recíproca, a única maneira de eu ter na empresa uma condição de atratividade maior que não exclusivamente o salário é o reconhecimento. Ninguém fica num local apenas por conta do salário, mas sua permanência é também condicionada pela capacidade de enxergar a finalidade positiva do que faz, do reconhecimento que obtem, do bem estar que sente quando seu trabalho é valorizado e se percebe ali a possibilidade de um futuro conjunto. Uma empresa que sabe que há um manejo possível da sua força de trabalho, mas não oferece no dia a dia condições de reconhecimento, quebra esse equilíbrio.

Nesse aspecto, a questão da educação corporativa tem um papel importante na retenção de bons profissionais. 

Para finalizar, a educação é um valor intrínseco na sociedade e no mundo do trabalho, é um valor inclusive de empregabilidade. Se eu percebo que a empresa investe em mim, aumenta o meu nível de gratificação, de um lado, e de gratidão, do outro. Não significa que eu tenha lealdade absoluta, porque não se sente isso nem nas organizações em geral. Mas, pelo menos, eu tenho um nível de fidelidade maior. E a educação significa que ela quer me preparar, se não exclusivamente para ela, ao menos me preparar como profissional, e isso me dá um grau de tranquilidade maior, portanto, de adesão.

Sobre o autor:
Professor Mário Disnard possui graduação em história e Gestão em Recursos Humanos. Possui Pós graduação em Gestão do Capital Intelectual e Coordenação Pedagógica. Foi Articulador da EJA da Prefeitura Municipal de Caruaru. Tem experiência na área de Administração. Foi Coordenador do Fórum Estadual de Educação de Jovens e Adultos biênio 2014/2016, Foi vice presidente dos Conselhos Municipais de Assistência Social e Direitos da Criança e do Adolescente de Caruaru. Participou da Construção do Plano Municipal de Educação de Caruaru. Pesquisador em EJA com publicações Nacionais e Internacionais . Em 2020 lançará o livro com a mesma temática do trabalho apresentado em Portugal pela editora Appris.

Nenhum comentário:

Postar um comentário