02 dezembro, 2020

A DECISÃO JUDICIAL E A INTELIGÊNCIA CURTA DOS ASSESSORES DO PREFEITO


O blogueiro Davidson Douglas, dono do site Vertentes Notícias, recebeu na manhã (15) um documento da Justiça Eleitoral oficiando que o juiz Solon Otávio de França mandou ARQUIVAR representação impetrada contra ele pelo prefeito Romero Leal. A denúncia, desconsiderada pelo magistrado, foi de que Davison teria publicado, três dias antes da eleição, uma matéria tida como “Fake News”. A matéria em questão é de minha autoria. Foi veiculada no site da revista Carta Maior e o caso até agora me faz dar gargalhadas.

O mais engraçado é que a matéria foi denunciada como Fake News pelo prefeito e seu advogado por um único motivo: a ilustração de uma urna eleitoral com a palavra “prefeito inelegível”.

Acontece que a matéria não fala somente sobre o prefeito de Vertentes. A matéria fala sobre 2.398 candidatos a prefeito que tiveram suas candidaturas impugnadas nas eleições deste ano por contra da Lei da Ficha Limpa, que impede a candidatura de pessoas condenadas pela Justiça. Prova disso é que NEM SEQUER O TÍTULO menciona o caso de Vertentes.

O prefeito de Vertentes ainda está sendo INVESTIGADO pelo Ministério Público Federal. A matéria fala que os nomes barrados pela Lei da Ficha Limpa foram todos impugnados e impedidos de concorrer a prefeituras diversas. 

E ressalta que, mesmo assim, nomes que foram denunciados na Justiça, mas não puderam ter candidatura impugnada por não terem sido condenados, continuaram tendo o direito de disputar - mesmo existindo provas consistentes de improbidade contra eles. 

Ou seja, um sem número de candidatos nestas eleições, mesmo alvo de denúncias, seguiram ELEGÍVEIS porque a Lei da Ficha Limpa nada menciona a respeito deles. E, neste caso, o texto cita como exemplo justamente o prefeito de Vertentes. Mais óbvio impossível. 

Considero risível tudo isso. Primeiro porque nunca escrevi que o prefeito era inelegível. Segundo, porque acho uma pretensão imensa considerar que a ilustração de uma publicação nacional, destinada a uma reportagem que fala em 2.398 pessoas possa ser avaliada como algo voltado apenas para uma delas, que sequer é mencionada no título.

Conforme a decisão do magistrado, o caso está ENCERRADO.

Mas, como já percebi que a equipe do prefeito não é muito boa ou não tem inteligência suficiente para entender as entrelinhas, eu traduzo aqui. A publicação do Davison Douglas é de uma matéria séria e bem apurada. NÃO É FAKE NEWS. 

Abaixo, reproduzo outra vez a matéria tão “cabeluda”.

Texto  Hylda Cavalcanti

Nenhum comentário:

Postar um comentário